Terra Brasil FM

(44) 99996-6651
Anunciante 05

Governo

Auxílio Emergencial 2021: pagamento da 1ª parcela começa hoje (06)

Quem teve o Auxílio Emergencial 2021 negado pode contestar o resultado até o dia 12 de abril. Porém, só alguns casos podem ser reavaliados.

Auxílio Emergencial 2021: pagamento da 1ª parcela começa hoje (06)
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Caixa Econômica Federal (CEF) começa a pagar nesta terça-feira (6) a primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021.

Os primeiros a receber, já nesta terça, são os trabalhadores nascidos em janeiro e que não fazem parte do Bolsa Família. Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, os pagamentos começam em 16 de abril.

A ajuda paga nesta terça será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta terça serão liberados no dia 4 de maio

VEJA QUEM RECEBE NESTA TERÇA:

Trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em janeiro

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo site do Dataprev, https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/

Quem teve o Auxílio Emergencial 2021 negado pode contestar o resultado até o dia 12 de abril. Porém, só alguns casos podem ser reavaliados.

De acordo com o Ministério da Cidadania, há dois tipos de resultado para a inelegibilidade – um que pode ser reavaliado, outro definitivo, ou seja, que não permite contestação.

Motivos de inelegibilidade que permitem contestação e o que fazer

Menor de idade

Entre menores de 18 anos, somente mães adolescentes têm direito ao benefício. A contestação só é possível se a data de nascimento informada no cadastro estiver errada.

O que fazer: atualize esta informação no site da Receita (clique aqui para acessar) antes de pedir a contestação.

Registro de óbito

Há casos em que o CPF consta com registro de óbito do titular.

O que fazer: procure um cartório de registro civil para corrigir a informação antes de pedir a contestação.

Instituidor de pensão por morte

Quem recebe pensão por morte não tem direito ao Auxílio.

O que fazer: se a informação estiver errada, o trabalhador pode contestar .

Seguro desemprego

Quem recebe Seguro Desemprego também não pode receber o Auxílio.

O que fazer: verifique no aplicativo CTPS Digital ou Sine Fácil a situação do pagamento do seguro desemprego ou defeso. Caso não esteja recebendo, o trabalhador pode fazer a contestação.

Renda familiar mensal per capita

O benefício não é pago se a renda da família for maior que R$ 550 por pessoa.

O que fazer: Consulte no serviço "Extrato de Contribuição (CNIS)" no aplicativo "Meu INSS" ou na "CTPS Digital" se as informações de recebimento de renda das pessoas da sua família estão corretas antes de contestar.

Renda total acima do teto do auxílio

Se a renda total da família for maior que R$ 3.300, o benefício não é pago.

O que fazer: Consulte no serviço "Extrato de Contribuição (CNIS)" no aplicativo "Meu INSS" ou na "CTPS Digital" se as informações de recebimento de renda das pessoas da sua família estão corretas antes de contestar.

Benefício previdenciário e/ou assistencial

Beneficio previdenciário (como aposentadoria) ou assistencial (como o Benefício de Prestação Continuada - BPC/LOAS) não permite receber o auxílio.

O que fazer: Verifique no aplicativo Meu INSS a situação do seu benefício. Caso você não esteja mais recebendo nenhum benefício previdenciário ou assistencial, mas o pagamento ainda não foi encerrado, faça o requerimento de atualização no aplicativo Meu INSS antes de contestar.

FONTE/CRÉDITOS: G1.

Veja também

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )